nov 22

Encerramento do Ano Santo da Misericórdia

001Hoje, mais precisamente 20 de novembro do corrente ano, encerrou o Ano Santo, que por meio da Bula “Misericordiae Vultus”, O Rosto da Misericórdia, teve a pretensa, durante 01 ano, a começar do dia 13 de dezembro de 2015, de que todos fizessem, através de reflexões profundas, a qualidade do comportamento, enquanto fiéis, da Boa Nova de Jesus Cristo.  A esse tempo todos puderam, através das leituras lidas e refletidas traçarem um comparativo com as suas reações ante os acontecimentos cotidianos, pois a vida de Jesus está repleta de ensinamentos, para uma boa conduta, quando a “Misericórdia” é algo primordial em todas as facetas, que se apresentaram e, certamente apresentarão em nossas vidas. Se às vezes reclamamos dos acontecimentos que chegam, através da mídia e que esses impactam negativamente em nossas vidas, constatamos que o mundo despreza os ensinamentos proclamados por Jesus, mas a isso devemos refletir sobre os nossos gestos, pois é através deles, que o mal toma tal projeção.

Hoje, através, de uma hora de adoração ao Santíssimo Sacramento, quando pudemos refletir a essência de Sua Vida e do Evangelho de Lc 23, 25-43 e constatar a “Misericórdia” de Jesus, quando Crucificado entre dois ladrões Dimas e Gesta é indagado pelo primeiro:__Jesus lembra-te de mim, quando entrares em teu reinado! E Jesus responde:__Ainda hoje estarás, comigo no paraíso! Para tanto devemos estar atentos aos nossos atos, aos nossos gestos, pois, através deles podemos levantar pessoas ou provocar suas quedas.

002

A reportagem, desse mês de novembro, da Revista de Aparecida: “Jesus, a Porta da Misericórdia”, demonstra com gestos concretos a Misericórdia, quando Jesus atende aos clamores da viúva de Naim, diante do filho morto, ressuscitando-o. Consoante a isso devemos, sempre, ser imitadores de Cristo, pois os nossos pequenos gestos, com boa vontade, podem dar alento a muitas pessoas em situações de desconforto, de penúria. Devemos entender que, somente, através de nossa retomada aos ensinamentos da Palavra, o mundo será um lugar propício, para que todos possam viver com equivalência, pois a salvação passa pela porta do aprisco, que é Jesus. Como Pe. Paulo Marcelo enfatiza, sempre, quando da leitura de Jo 10,9:__Eu sou a porta, se alguém entrar por mim será salvo… O ladrão vem senão para furtar, matar e destruir. Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância.

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 20 de novembro de 2016

nov 16

11º Encontro da Irmandade do Santíssimo Sacramento

001O tempo frio e chuvoso não esmoreceu os ânimos dos 40 irmãos que rumaram, no horário de 05:30, para a cidade de Carrancas, na intenção de participarem do 11º Encontro da Irmandade do Santíssimo Sacramento. Ao chegarmos fomos recepcionados por um excelente café, contendo no mesmo uma variedade infinda de quitandas. Umas vez satisfeito o apetite rumamos para a bela Igreja Matriz Nossa senhora da Conceição (em tempo vale ressaltar que a mesma foi erigida no final do século XVVIII com blocos de quartzito e tendo o teto do presbitério com afresco do discípulo de Aleijadinho, Joaquim José da Natividade) na intenção de buscar o anfitrião do encontro “Santíssimo Sacramento”. Assim que o Pe. Eder Sebastião dos Santos incensou o Santíssimo Sacramento, o Mesmo foi transladado em procissão até o Ginásio Poliesportivo. Uma vez entronado o Santíssimo Sacramento, fez-se a adoração e recitação do Terço (Mistérios Dolorosos), sendo este, conduzido pelo Diácono Diocesano Permanente Ademir Noel. Em seguida  Pe. Javé Domingos Silva (Minduri) ministrou uma profícua palestra intitulada: O cotidiano das Irmandades do Santíssimo Sacramento, quando na ocasião desenhou com bastante embasamento, baseado na 1º Carta aos Coríntios, os perigos que uma comunidade corre, quando seus membros não têm discernimento das diretrizes que regem o movimento e se habituam a personalizá-lo, isto é, tornando-o o reflexo de suas vontades pessoais. Para tanto ele mencionou uma frase asseverada por Jesus, quando da última Céia:__Fazei isto em minha memória!__A isto fica bem claro, que o que vai nortear o movimento é a intenção de fazer memória a Jesus, no sentido de fazer a vontade Deste. Há que se entender, também, que tal irmandade é diferente das demais, pois cabe a esta zelar pela própria Igreja e na proclamação da palavra e ostentação do Santíssimo Sacramento os seus membros se comprometem seu a sair do próprio egoísmo, para ir ao encontro dos acontecimentos sociais, na promoção de quem se encontra em  estado de penúria, tanto na forma física, material e espiritual. E tem que se ter a intenção clara que a prioridade de tal movimento é o de estar reunido ao redor do próprio Jesus Cristo, transubstanciado em pão e vinho, para nos alimentar em nossa viagem terrena. É necessário que entendamos, que tal movimento, é de suma importância para a vitalidade da Igreja, pois este (movimento) esteve, sempre,  atrelado em sua formatação, enquanto templo, tanto que era chamado como Irmandade Fabriqueira ou Fábricas das Igrejas. Finalizando a palestra asseverou que a gratuidade, humildade e disponibilidade ao serviço é a melhor prenda que podemos ofertar a Jesus Cristo . E deixou uma máxima, para se pensar:__”Não importa o ponto que chegamos. O importante é prosseguir decididamente”

Após a palestra foi oferecido o almoço e alguns minutos para a sesta, não para dormitar, mas para se poder trocar informações e opiniões. Na sequência houve vários depoimentos de Milagres Eucarísticos. Encerrada essa etapa, Pe. Paulo Marcelo Daher Gomes Filho munido do capítulo 12 da 1ª Carta aos Coríntios começou a dissertar sobre as variedades de dons a que todos são capazes e a maneira eficaz desses serem bem empregados em movimentos e pastorais. Especificou que a tônica do Movimento: Irmandade do Santíssimo Sacramento é caminhar junto com o pároco e nessa caminha crescer na fé e se fidelizar cada fez mais ao intuito do movimento e de sua importância no contexto religioso e social. Para tanto tem que se conhecer as características do movimento, sua importância histórica e respeitar a hierarquia de comando, quando o consenso é prioritário, quando o ângulo do meu olhar tem que ser desviado para o todo, em detrimento do meu “eu”. E para se membrar ao movimento não é necessário ter diplomas ou posições, para tanto deve-se ter, apenas, boa vontade e a certeza do sim dado. Para tanto asseverou que Jesus ao iniciar o seu ministério escolheu pessoas simples e marginalizadas e a nós não nos cabe ser diferentes Deste. Apesar de o assunto ser sério, pois chamou a todos à responsabilidade, Pe. Paulo Marcelo efetivou sua palestra em tom, sempre, jocoso, o que deixou todos à vontade.

Em seguida houve a celebração do Santo Sacrifício da Missa, quando a mesma foi celebrada por Dom Célio de Oliveira Goulart e concelebrada por: Monsenhor Jair Santos Pinto, Pe. Paulo Marcelo, Pe. Eder, Pe. Javé, Pe. Dirceu e pelo diácono Noel, quando ao homiliar sobre o Evangelho ratificou tudo o que fora dito, até então, sobre a Irmandade do Santíssimo Sacramento. Ao final foram distribuídos brindes.

Foi um evento simples, quando a pretensa foi, apenas, a de tornar a Irmandade mais unida e seus participantes mais inteirados de sua importância social, histórica e religiosa. Vale ressaltar que ao final foi repassada a responsabilidade do zelo  da imagem de Nossa senhora do Santíssimo Sacramento  para o provedor da Irmandade da cidade de Prados até o ano de 2017, próximo encontro, quando tal Irmandade estará completando 300 anos de sua fundação. Em tempo vale registrar a presença discreta de Pe. José Bittar.

Parabéns aos organizadores e a todos que direta ou indiretamente ajudaram para o sucesso do evento.

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 15 de novembro de 2016

nov 02

Dia de Finados

finadosFinados é um dia especial, um dia de veneração aos defuntos, um dia para lembrar dos nossos entes queridos, daqueles que fizeram parte de nossa vida terrena. Nesse dia é normal que as pessoas fiquem melancólicas, pois a morte lembra a perda e quando amamos é triste essa despedida. No entanto a morte nos remete a fragilidade da existência humana, a importância de sermos mais humanos com o próximo, menos orgulhosos, menos arrogantes. Jesus dizia, sempre, que estamos na terra de passagem e que devemos fazer sempre o bem e nos desapegar dos bens materiais; nada aqui na terra tem dono, tudo está emprestado por um devido tempo.

O filósofo Heidegger também dizia que o homem é um ser para a morte, o que também nos remete a fragilidade e contingência humana. A finitude da vida é parte de uma reflexão espiritual que nos impulsiona para uma existência repleta de harmonia e união com os nossos irmãos de caminhada. A morte entre os ocidentais tem somente conotação negativa, mas numa visão oriental e cristã seria apenas um momento de se voltar para si mesmo e refletir sobre a vivência cotidiana em um mundo de tanto consumismo e individualismo. Nos dias atuais muitas pessoas tem se rendido aos prazeres da vida e se esquecido do verdadeiro sentido da vida na terra.

As pessoas não devem se render apenas aos deleites da carne, mas ter uma vida repleta de espiritualismo e solidariedade junto aos irmãos. Somente o amor cristão é capaz de direcionar o ser humano para a verdadeira morada eterna e a ressurreição com Cristo. Jesus Cristo dizia em seu peregrinar pela terra que os fariseus rezavam em voz alta nos templos, respeitavam a lei, mas não eram solidários com o próximo. O verdadeiro cristão é aquele que mostra ao outro a face de um coração puro e contrito, que transparece em suas atitudes o amor verdadeiro de Deus, aquele capaz de redimir o ser humano de suas misérias. A verdadeira missão de cada um está relacionada com o amor ao seu irmão de caminhada em todos os momentos da existência.

Por Sirlene Cristina Aliane – PASCOM

Dores de Campos, 02 de novembro de 2016

nov 02

Festa de Nossa Senhora do Rosário

001A mãe do Rosário é a incentivadora de uma das orações mais sublimes da igreja, o “terço”. Quando contemplamos seus mistérios (que são 04) relembramos os momentos mais importantes da vida de Jesus e de Maria contidos na bíblia sagrada. Mas no terço além de relembrar, rezamos com fervor no intuito, mais profundo, de homenagear a Nossa Senhora, a corredentora da humanidade. O rosário é uma dádiva mariana pertencente à igreja católica e é considerada, pela mesma, como dogma de fé. Durante todo o mês de outubro, em todo ano,na Capela do Rosário acontece a recitação às 15:00 horas, presidido pela querida Dona Geni e com a participação de um grupo de devotas da querida Nossa Senhora do Rosário. Para tanto vale ressaltar que o terço é recitado às 15:00 horas, para atender ao Concílio do Vaticano II em promoção à Liturgia das Horas Canônica, valendo ressaltar que tal hora pode ser chamada de Noa (hora intermediária), pois a mesma relembra o momento de oração de João e Pedro no templo, quando um paralítico foi curado.

001_2

No dia 30 de outubro de 2016 celebrou-se o dia de Nossa Senhora do Rosário, quando aconteceu uma solene missa campal, no adro da Capela do Rosário, com a presença de muitos fieis devotos. Após a celebração houve a procissão animada, musicalmente, por uma banda de Congado. Vale ressaltar que Nossa Senhora do Rosário é considerada a Santa dos Pretos, pois na Mesma é vinculada toda a religiosidade e cultura africana. Terminada a procissão aconteceu com a coroação de Nossa Senhora do Rosário pela querida e devota Dona Geni e Sr. Zé do Catete, fiéis devotos e representantes da Irmandade Desta. Vale ressaltar que a coroação é uma demonstração da magnitude de Nossa Senhora, que mesmo tão humilde é grande aos olhos do altíssimo. Maria de tantos nomes, mas única aos olhos do Senhor.

Por Sirlene Cristina Aliane – Pascom

Dores de Campos, 01 de novembro de 2016

nov 02

Afetividade e Sexualidade

001Hoje, mais precisamente dia 30 de outubro do corrente anos, às 15:00 h, na Matriz Nossa Senhora das Dores aconteceu a palestra: “Casamos e agora? Afetividade e Sexualidade” , patrocinada pela Pastoral familiar e ministrada pelo Dr. Cláudio Bontempo, que antes de iniciar os trabalhos, irmanado pelo casal Wellington e Vilmara, convidou a todos os presentes a rezarem a Oração do Divino Espírito Santo e uma Ave Maria.

002Tal iniciativa deveu-se a um maior entendimento para o sucesso da vida a dois, num momento em que a Família se encontra, através de um modismo motivado pela mídia, em perigo. Para tanto, o Dr. Cláudio Bontempo, munido de slides, começa a pontuar a união de homem e mulher a partir da Gênesis (2.23-25), Mateus (19.5-6) e Efésios (5.22-23), quando é citado que os dois se tornarão uma só carne. A isso vale ressaltar que não podemos entender como uma anulação de um perante o outro, quando dois se tornarão um, mas se tornarão um na intenção, quando o único propósito é caminhar lado a lado na mesma direção. Quando a falta de um será compensada no outro, emocionalmente e sexualmente. A isso cita “O Sermão de Casamento” de Mario Quintana, pois o mesmo fez uma releitura da promessa de união, quando se deveria, ao casal, ter esse comprometimento do sim nas perguntas que lhes serão feita:

…Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar? Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e, portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela? Promete se deixar conhecer? Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor? Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?…

004A isso devemos entender que o casamento nos propicia um conhecimento profundo dos nossos próprios anseios e, mais do que isso, permite-nos encontrar as respostas no outro. Mas, para tanto, devemos estar inteiro na relação, para nos inteirar da proposta desse encontro. Necessário se faz um exercício diário de tolerância, quando cada um, a seu modo, deve se permitir um pouco de renuncia, para um maior equilíbrio. Também deverá ser somado, para o equilíbrio do fiel dessa balança diálogo constantes, quando cada um exporá os seus anseios, as suas dúvidas e suas alegrias. Pois como asseverava o Velho Guerreiro (Chacrinha): Quem não se comunica se trumbica!

Caberá ao casal estar imbuído de fé, pois a mesma faz com que cada um tenha a humildade de se reconhecer errado e mais do que isso solicitar do outro perdão e desculpas. É necessário que o casal aprenda a auscultar o teor de suas indagações, a observar as duvidas do outro para que se possa formatar na rotina o encanto da vida a dois. A isso ele demonstrou a todos, através de um pensamento de Rubens Alves:

… Todo jardim começa com uma história de amor, antes que qualquer árvore seja plantada ou um lago construído é preciso que eles tenham nascido dentro da alma. Quem não planta jardim por dentro, não planta jardins por fora e nem passeia por eles.

Consoante à citação de Rubens Alves podemos entender que, somente através de uma entrega total, será propiciado ao casal um deleite compartilhado.

Existem dois grandes tabus na vida de todos nós ocidentais: Morte e Sexo. São assuntos delicados e não debatidos, uma vez que falar sobre os dois tornar-se-ão algo vexatório. Há que se entender que ambos fazem parte da vida. Quando Deus criou o homem e a mulher ele deu a ambos os órgãos genitais, para a procriação e para o prazer. Para tanto a sexualidade não é pecado, pelo contrário é a forma mais saudável de celebrar o amor, é a oportunidade do encontro. Apesar de terem esses encontros sucessivos, cada um é único, pois o casal estará em estado de contemplação. Tem um livro de Pe. Leo “Sede Fecundos’, onde ele explica que contemplar vem da palavra templo e esta é originária do grego, que significa: Pedaço do Céu, ou morada de Deus. Então o êxtase propiciado pelo sexo dá ao casal uma dimensão sobrenatural, isto é o de sentir a leveza da presença de Deus. É claro que aqui está se referindo ao sexo com amor, com respeito, onde o casal se permite estar vulnerável. Vale ressaltar que sexo significa: cortar, dividir. Vale, também, ressaltar que somente aos seres humanos é permitido copularem olhando nos olhos um do outro.

Uma das coisas mais importantes na intimidade do casal é o que chamamos de preliminares, mas a isso não se direciona o contato físico antes do coito, mas sim o conjunto de gentilezas que ocorre durante todo o dia, a começar por um: Bom dia, pela manhã, um elogio durante o almoço e jantar. Tudo isso propiciará uma noite de amor, vale ressaltar que a higiene é algo salutar para o sucesso de uma vida do casal. Outra coisa que o casal tem que procurar é a inserção do “meio termo”, isto é a forma de encarar a forma originária do prazer, pois ao homem ele vem, simultaneamente pelo olhar, enquanto que para a mulher o mesmo advém do toque, das carícias. Então durante o ato, cabe ao homem não ser tão afoito, isto é, seguir o ritmo da mulher. Em tempo vale relatar que o Dr. Claudio Bontempo disse em tom jocoso que o homem é um fogão a gás e a mulher um fogão a lenha (mais difícil de aquecer, porém mais difícil de esfriar).

005Algo imprescindível ao casal será a manutenção da individualidade, não a individualidade egoísta, mas aquela que faz cada um ser inteiro para a entrega total. A isso vale lembrar um belo poema de Khalil Gibran, que assevera: … Amai-vos um ao outro, mas não façais do amor um grilhão. Que haja antes um mar ondulante entre as praias de vossas almas. As colunas do templo erguem-se separadamente. E o carvalho e o cipreste não crescem à sombra do outro…

Finalizando foi relatado uma experiência pessoal que tinha tudo para ser traumática, mas com a ajuda de Deus e o companheirismo de sua esposa foi superado a perda de um ente querido, Claudinho o primeiro filho do casal. A isso vale a pena acentuar que às vezes situações de sofrimento pode servir de elixir, na intenção de minimizar pequenas mazelas e unir ainda mais, o casal. Para tanto algo imprescindível, para o casal, é o de se entregar nas mãos de Deus e de se espelhar na Santa Família de Nazaré e estar em constante oração.

Parabéns ao Dr. Cláudio Bontempo, pelo falar fácil e principalmente pela espiritualidade denunciada!

Parabéns à Pastoral Familiar, por propiciar a todos a escuta de grandes verdades, que o barulho do mundo está abafando!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 30 de outubro de 2016

out 30

Visita de Nossa Senhora de Fátima

005Hoje, mais precisamente 29 de outubro de 2016, o dia amanheceu nublado e frio, contrariando a própria estação, porém havia algo que aquecia e sobressaltava os muitos corações que se irmanavam defronte e dentro da matriz Nossa Senhora das Dores, esse algo era a ilustre visita da imagem de Nossa Senhora de Fátima, cuja peregrinação se tendencia a percorrer todas as paróquias até 13 de maio de 2017, data essa que marcará o centenário de sua aparição aos 03 Pastorinhos: Lúcia dos Santos (10 anos), Francisco Marto (09 anos) e Jacinta Marto (10 anos), valendo ressaltar que esses dois últimos eram irmãos.nsfatima

A bela imagem de Nossa Senhora de Fátima chegou pelas mãos soerguidas de Pe. Paulo Marcelo, oriunda da cidade de Prados, sendo introduzida pela nave até o presbitério, quando lá foi entronizada em um belo altar, tal qual se susteve na pequena azinheira. Em seguida Pe. Paulo efetuou uma narrativa a qual mostrava o caráter oportuno da aparição, uma vez que o mundo era destroçado pela 1ª Guerra Mundial e as idéias do comunismo ateu se difundia por toda a Europa Católica, então em um local (Cova da Iria) pertencente ao pai de Lúcia, estando a mesma a pastorear com mais dois amiguinhos: Francisco e Jacinta, eis que mediante um vento muito forte a pequena azinheira é sacudida e por sobre a mesma uma bela mulher, resplandecente, convida aos três, através de Lúcia, a recitar o Santo Rosário, na intenção de estabelecer a paz e banir do mundo o comunismo. A única solicitação de Nossa Senhora foi a edificação de uma capela e a recitação diária do Santo Rosário. Nossa Senhora, também, propiciou à Lúcia 03 revelações, a saber: Visão do Inferno, consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração e o atentado ao Papa em 1983. Com sucessivas aparições aos pastorinhos foi solicitado um milagre, para que os mesmos tivessem credibilidade, ante os boatos de heresia. Então após uma noite de chuva torrencial e estando todos enlameados na Cova da Iria, eis que um forte sol parecendo girar e a baixar do céu seca todas as roupas dos fiéis que lá estavam e seca toca a lama da terra.

Vale ressaltar que esta é a segunda visita de Nossa Senhora de Fátima à nossa paróquia, sendo que a primeira aconteceu na década de sessenta, mais precisamente em 1962, quando a mesma foi trazida por 06 frades Capuchinhos. Vale, também, ressaltar que quando da primeira visita, a Mesma ficou na cidade por 01 semana. A esse tempo havia procissões todos os fins de tarde, saindo a mesma pela rua Dr. Silvio Tranqueira e retornando, quando perto da casa do Sr. Deca Teixeira. Durante o trajeto Pe. João Cupertino e os 06 Capuchinhos iam recitando o Santo Rosário acompanhados pelos fiéis.

001Em tempo vale ressaltar que Nossa Senhora de Fátima pernoitou na capela, que leva Seu nome, no bairro do Catete, quando os fiéis puderam estar em vigília por toda a madrugada. Infelizmente tudo o que é bom dura pouco e hoje pela manha após a recitação do Santo Rosário, Nossa Senhora de Fátima continuou o seu périplo, com destino a Barroso, sendo agora pelas mãos do Pe. João Rodrigues.

Em nossa formação Mariana, queridos paroquianos, não vamos deixar que as distrações do mundo apaguem de nossa memória a singela canção/oração, que cantávamos, quando crianças, a saber:

…A treze de maio na Cova da Iria

No céu aparece a Virgem Maria

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

A três pastorinhos, cercada de luz

Visita Maria, a mãe de Jesus

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

A mãe vem pedir constante oração

Pois só de Jesus nos vem a salvação

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

Da agreste azinheira a Virgem falou

E aos três a Senhora tranquilos deixou

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

Então da Senhora o nome indagaram

Do céu a mãe terna bem claro escutou

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

Se o mundo quiserdes da guerra livrar

Fazei penitência de tanto pecar

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

A Virgem lhes manda o terço rezar

A fim de alcançarem da guerra o findar

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria

Com estes cuidados a mãe amorosa

Do céu vem os filhos salvar carinhosa

Ave, ave, ave Maria

Ave, ave, ave Maria…

Que Maria propicie, a cada um de nós, chegar à morada do Pai!

Amém!

Dores de Campos, 30 de outubro de 2016

Texto: João Bosco de Melo – PASCOM

Fotos: Nairon Neri Silva – PASCOM

out 20

Parabéns Pe. Paulo!

022

Pe. Paulo Marcelo, já é sabido, que todos nós estamos atrelados ao tempo e este ao progresso, então, consoante a isso vamos perdendo a inocência e o sentido do sobrenatural, que é Deus. Para tanto o Sr. com suas homilias simples, porém profícua vem nos acordando e nos atinando para o sentido real da vida: “trilhar o caminho do meio” que é o do equilíbrio, da perseverança. Então hoje, que é o seu aniversário, rogamos a Deus, para que Ele permita ao Sr. uma série, como asseverou Guimarães Rosa, de horinhas de distrações, pois nas mesmas se denunciarão a felicidade. Nós da PASCOM queremos, apenas, agradecer pela sua existência. Fique, sempre, com Deus e Maria, a cheia de Graças!

Parabéns, Feliz Aniversário!

Mensagem da PASCOM – João Bosco, Ayla, Nairon, Dinéia, Nathan e Sirlene


Quer deixar a sua mensagem para o Pe. Paulo? Utilize o formulário abaixo.

Pode ter certeza que ele vai ler todas as mensagens

out 13

Dia de Nossa Senhora Aparecida

001Quando os portugueses se aportaram aqui, lá pelos idos de 1500, trouxeram no bojo dos degredados a devoção a Maria Santíssima, que com o tempo e os fatos apresentados foi se  proliferando em vários codinomes  de  Maria, Nossa Senhora, porém a intenção na devoção continua a mesma, àquela que no alto do madeiro foi instituída, por Jesus, como a Mãe de todos nós:__Filho eis ai tua Mãe! Mulher eis ai o teu filho! Então com tráfico humano vindo de  além mar, começa um dos períodos mais conturbados de nossa história, quando o homem torna de fato o lobo do homem, ao fazer de seu irmão de cor a “mercadoria” mais disputada pelo mercado escravagista. Na escuta  dos rogos e lamentos oriundos das senzalas, Maria se compadece e se apresenta aos pescadores, quando esses lançam as redes no Rio Paraíba, em uma imagem negra, mostrando com isso o repúdio à pratica escravagista. Vale ressaltar que a pesca naquele dia foi farta, contrariando a temporada da não pesca. Consoante a esse milagre a devoção à Nossa senhora, já com um novo codinome: Aparecida começa a se difundir em todo o Brasil.  Então em 1930, através do Papa Pio XI Nossa Senhora da Conceição Aparecida é proclamada como Padroeira do Brasil e o seu dia sendo 12 de outubro.

Se puxarmos pela nossa memória constataremos que nas tardes de nossa infância, mais precisamente às 15:00 h, em cada casa que tinha rádio, o mesmo era sintonizado na Consagração de Nossa Senhora Aparecida, quando podíamos acompanhar com muito fervor a bela oração conduzida pelo Pe. Vitor. E ontem no Santo Sacrifício da Missa Pe. Paulo Marcelo rezou essa mesma oração, diante da imagenzinha de Nossa Senhora Aparecida, a saber:

Ó Maria Santíssima, que em vossa querida Imagem de Aparecida espalhais inúmeros benefícios sobre todo o Brasil; eu, embora indigno de pertencer ao número dos vossos filhos e filhas, mas cheio do desejo de participar dos benefícios de vossa misericórdia prostrado a vossos pés consagro-vos meu entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis.
Consagro-vos minha língua, para que sempre vos louve e propague vossa devoção.
Consagro-vos meu coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas.
Recebei-me, ó Rainha incomparável, no ditoso número de vossos filhos e filhas.
Acolhei-me debaixo de vossa proteção.
Socorrei-me em todas as minhas necessidades espirituais e temporais e, sobretudo, na hora de minha morte.
Abençoai-me, ó Mãe Celestial, e com vossa poderosa intercessão fortalecei-me em minha fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida, possa louvar-vos, amar-vos e dar-vos graças no céu, por toda eternidade. Assim seja.

Amém!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 13 de outubro de 2016

set 16

Setenário e Festa de Nossa Senhora das Dores

002Setenário de Nossa Senhora das Dores – As Sete Alegrias de Maria

Primeira alegria-Tema: Encarnação do Verbo Divino

Celebrante: Padre Rodrigo Coimbra Ladeira

O sim de Maria representa uma resposta positiva à humanidade de Deus, pois mesmo assustada Nossa Senhora aceitou a missão como a mãe do salvador da humanidade.  Paralelo a essa primeira alegria foi enunciado a profecia do velho Simeão, destacando o antagonismo dessas duas vertentes alegria e sofrimento, pois Maria ao apresentar seu filho ao templo, escuta a predição de um sofrimento futuro. A isso constatamos que a vida do ser humano é permeada de contrários, sentimentos que caminharão juntos em todos os momentos da existência, deste.

Segunda alegria – Tema: Visita de Maria à Isabel

Celebrante: Padre Airton Conceição Almeida

A visita de Maria a sua prima Isabel é a junção de duas propostas divinas, que permitirá um diálogo implícito entre Jesus e o seu primo João Batista. O canto do Magnificat é a celebração da promessa de salvação do povo de Deus, através de uma mulher determinada denominada Maria. O espírito de serviço de Maria à sua parenta é um momento fundamental para o amadurecimento de sua missão de co-redentora dos, que mais tarde, através da constatação de Lucas, se chamarão Cristãos.             

Terceira alegria – Tema: Nascimento de Jesus

Celebrante: Padre Dirceu de Oliveira Medeiros

O nascimento de Jesus é a concretização da promessa de Deus no Antigo Testamento e o celebrante cita a misericórdia personificada no próprio Jesus Cristo. Nascer como homem e morrer por toda a humanidade é um ato de coragem e amor ao próximo.  A misericórdia nasceu entre nós e deve ser perpetuada e vivida pelas pessoas no seu seio familiar e posteriormente se estender a toda a comunidade. Então nesse ano e nos próximos que advirão devemos refletir sobre a magnitude da misericórdia de Jesus a todos os seus filhos e a nossa pelo outro.

Quarta alegria – Tema: Visita dos Reis Magos a Jesus

Celebrante: Padre João Rodrigues de Paula

A visita dos reis magos deve ser entendida como a representação da raça humana: negróide, caucasóide e mongolóide. Os três visitantes reconheceram a divindade de Jesus, o que celebra a Epifânia do Senhor. Renderam-se graças ao salvador da humanidade, o qual nasceu em uma manjedoura, mas que salvaria toda a humanidade de seus pecados. Que oportunidade sublime para esses nobres homens, que vieram de plagas distantes, apenas para renderem graças a um, até então, anônimo! Eles apenas creram e com isso permitiram a humanidade visitar, já de antemão, o salvador do mundo.

Quinta alegria – Tema: Encontro de Jesus no templo

Celebrante: D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo diocesano

A perda de Jesus no templo é simbolizada pela perda de Jesus, mas na verdade foram José e Maria que se perderam  Dele, pois Este estava no templo cuidando das coisas do Pai.  Maria e José encontram Jesus e sentiram-se aliviados e em paz. E hoje devemos ficar de sentinela ante a presença do Pai, para não deixar que o barulho do mundo nos distraia. A alegria do encontro com Jesus é a libertação humana, definitiva, de todos os nossos pecados.

Sexta alegria – Tema: Ressurreição de Jesus

Celebrante: Padre Rodrigo Coimbra Ladeira

A ressurreição de Jesus significa acordar o que está adormecido, ou seja, perceber que o sol, sempre, será antecipado pelo negrume da noite. Assim como a alegria cobrirá a dor.  Paulo de Tarso afirmrá que a ressurreição é a base da fé dos Cristãos e relaciona-se a isso, com a mensagem salvífica de Jesus, ante a cultura de morte preconizada pelo mundo:__ “Eu vim para que todos tenham vida e que a tenham em abundância”. Para tanto a Fé Cristã  deve ser pautada na Ressurreição de Jesus.

Sétima alegria – Tema: Coroação da Virgem Maria no céu

Celebrante: Padre Paulo Marcelo Daher Gomes Filho

O sim incondicional de Maria a Deus é um compromisso com todos os cristãos e foi, através desse compromisso, que Ela venceu a morte, tornando-se um modelo a ser seguido por todos os fieis. A vida de Maria foi anônima como a de tantas mulheres: Santa Madre Teresa de Calcutá, a beata Irmã Dulce,  que vieram ao mundo para servir, sem aplausos e sem a pretensão de reconhecimento. Nesse dia da Exaltação da Santa Cruz o padre mencionou a morte santa de Jesus para remir a humanidade de seus pecados e a fidelidade de Maria até o fim de sua vida terrestre.

15/09 – Dia Consagrado a Nossa Senhora das Dores

001

Celebrantes: Pe. Paulo Marcelo, Pe. Claudir, Pe. Antônio Carlos, Padre Éder,  Pe. Dirceu, Pe. Adamo e Pe. Rodrigo Coimbra

Hoje foi um grande dia, pois consagrou, mais uma vez, Nossa Senhora das Dores, como a mãe de toda a humanidade. Maria foi, é e ainda será o personagem fundamental para a redenção dos Cristãos, pois ela nos foi dada como Mãe. Consoante a isso é citado por Jesus, no evangelho de João: “Mulher eis aí o teu filho, filho eis aí tua mãe”. Assim devemos reverenciar Maria como mãe, pois foi a vontade de Jesus no alto do madeiro. Maria, quase não foi mencionada no caminho da paixão, mas ficou ao pé da cruz até o momento derradeiro e  de forma abstrata, no sentido de sua dor de mãe, ela foi crucificada, também, porém silenciosa. Devemos nos espelhar em Maria,quando passamos por momentos de tribulação e sofrimento, sendo firmes, fieis e confiantes na força do altíssimo. Toda a humanidade carrega suas cruzes no cotidiano e Maria não foi diferente, sofreu toas as dores de uma mãe que perde seu filho, para a redenção da humanidade.

Nossa Senhora é a mulher decantada por todas as gerações como a vestida de sol, que tem a lua sob seus pés e por sobre a cabeça a coroa contendo doze estrelas, se referindo às doze tribos. A mulher que nos protege do mal personificado na forma de um dragão. A mulher que foi preservada do pecado, para ser a grande educadora do salvador da humanidade, o fio condutor da verdade de Deus. Desde a Anunciação do Anjo Gabriel, Maria foi inserida no plano de salvação de todos os Cristãos, que acreditaram e acreditam na sua santidade e poder de intercessão junto ao seu filho Jesus, o qual foi demonstrado pela primeira vez nas bodas de Caná. Nos dias de hoje Nossa Senhora atende a todos os que pedem e confiam em sua intercessão junto ao seu filho amado.

Queridos paroquianos confiem em Nossa Senhora e suas vidas serão, sempre, permeadas de esperança e fé, apesar das tribulações, que certamente advirão!

Dores de Campos, 15 de setembro de 2016

Sirlene Cristina Aliane e João Bosco de Melo – PASCOM

set 13

Celebração da 1ª Eucaristia

01Na manhã do dia 11 de setembro de 2016, dentro das festividades da Padroeira Nossa Senhora das Dores, a nossa comunidade se encontrava em festa pela vida das crianças que recebiam pela primeira vez o corpo e o sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo na Santa Comunhão, por suas famílias e também pelos catequistas que contribuíram nesta caminhada.
Na Entrada da celebração catequizandos e catequistas entraram com um barco nas mãos que simbolizava a vida de fé dos cristãos, nos lembrando de todos os chamados que Jesus fez e faz a tantas pessoas. Este também simbolizava nossa vida, nossa caminhada com Jesus.
12
A coordenação da catequese da Paróquia Nossa Senhora das Dores agradeceu a todos que colaboraram com a celebração: Pe. Paulo, Ministros, coroinhas, músicos e catequistas. De maneira especial também aos pais pela confiança depositada nos coordenadores e catequistas e deixando como mensagem à eles que os pais são os primeiros catequistas de seus filhos, pois é na família que a criança faz a primeira experiência de Fé em Deus. Agradeceu também as crianças pelo carinho, ternura e inocência que foram capazes de nos ensinar muito e de transformar nossas vidas.
Por Dinéia Maria Ribeiro Lacerda – Coordenadora da Catequese Paroquial
Dores de Campos, 12 de Setembro de 2016

Posts mais antigos «