«

»

dez 07

Pe. Paulo Marcelo 12 anos de Vida Sacerdotal

 

Alguém já disse: De onde vem o propósito de nossas vidas? Vem do acaso como se fosse sorte, ou é um chamado de Deus acenando a cada um de nós, para que possamos fazer a nossa parte no mundo?

Creio que foi a esse propósito e a esse chamado que Pe. Paulo Marcelo respondeu há 12, quando de sua primeira celebração Eucaristia em Resende Costa, com um SIM, algo que já estava incrustado no seu consciente, pois ele sabia, desde a infância, que só a maturação das idades o tornou possível, já que tal resposta implica responsabilidade e clareza de intenções. Como ele mesmo diz, sempre, que a estrutura verdadeira de um padre é concebida no seio de uma família estruturada e condizente das coisas de Deus.

Muitos acreditam que a vida de padre é triste e solitária, mas acredito que não, pois a responsabilidade em estar à frente de uma paróquia é enorme, e para tanto é necessário o silêncio e o estar só, para auscultar as mensagens sublimares advindas de Deus e repassá-las aos seus paroquianos. E mais do que isso se exige vocação, que nada mais é do que vocar idéias com o intuito de criar novos conceitos e abolir preconceitos, para que tenhamos um mundo sonhado por Deus e proclamado por Jesus Cristo. As escrituras sagradas, sempre, denunciaram essa sistemática, Jesus se retirava para conversar com o Pai, Moisés e outros mais, haja vista, quando nos recolhemos ao silêncio de nossas orações. Se recorrermos à Alegoria da Caverna (Platão) a aplicaremos ao propósito do Pe. Marcelo (em especificação), pois uma vez que ele conhece a luz (verdade) ele tem o propósito de torná-la possível a  todos nós, que vivemos em um estado de escuridão (ignorância) e uma vez esse propósito concluído já estamos aptos a ir ao encontro de um Jesus, que nos quer inteiros. E a isso se aplica, também, ao Evangelho, quando o mesmo observa que João Batista veio aparar as aresta para a vinda do de Jesus Cristo e o Pe. Paulo, através de suas homilias profícuas, lança machados a nós, para que possamos aparar as aresta e preparar o caminho que nos levará ao encontro, também, de Jesus Cristo. E isso ele faz muito bem, através de sua simplicidade e simpatia (sem afetamento) e em contrapartida o povo se torna fiel, amorosos.

Bertold Brecht escreveu algo que se aplica, verdadeiramente ao Pe. Paulo Marcelo, a saber:  

“Há homens que lutam um dia e são bons,
Há outros que lutam um ano e são melhores,
Há aqueles que lutam muitos anos e são muito bons,
Mas os que lutam toda uma vida,
Tornam-se imprescindíveis”

Parabéns, Pe. Paulo Marcelo, que a Sagrada Família lhe permita um vasto redil, para que o senhor possa fazer repousar, nele, todas as ovelhas, possíveis!

Fique com Deus!

P/ João Bosco de Melo

Dores de Campos, 04 de dezembro de 2011

 

Mensagem da Pastoral da Liturgia

Nestes 07 anos que o senhor é pároco aqui em nossa cidade, aprendemos que a palavra sacerdócio pode ser traduzida em amor. Porque um jovem, quando decide largar tudo para se deixar seduzir por Jesus, pode ser considerado uma pessoa muito especial. Não que as outras vocações não sejam importantes, pois como o senhor diz sempre, um padre nasce de uma família.

E o senhor mostra este amor em tudo o que faz, em cada homilia nós saímos daqui transformados. O senhor já parou pra pensar como a sua presença aqui é importante não só pra nós dorenses, que temos o privilégio de estar perto do senhor, mas também pra muitos ouvintes que não tiveram ainda condições de estarem presentes aqui?

Seus pais, com certeza têm muito orgulho do senhor, pois são 12 anos de amor e dedicação a quem necessita de uma palavra, um conselho ou até mesmo de segurar na sua mão sem dizer nada, mas só a presença de um sacerdote numa hora difícil já basta.

Sabemos que às vezes não é compreendido por alguma coisa que faz, mas como todo ser humano o senhor tem suas fraquezas, limitações e erros, mas mesmo assim não deixamos de respeitá-lo e admira-lo.

E por falar em admiração, é muito bonito este seu jeito de não escolher quais os convites aceitar para almoçar ou tomar um simples café, digo isto porque o senhor não faz distinção de cor ou classe social, só precisa ser lembrado, porque a cabeça… Sem comentários!!!

Então padre Paulo, que o senhor continue este jovem alegre, simpático, amigo e com este imenso amor que tem pelo sacerdócio.

Parabéns e que Nossa Senhora das Dores, esteja sempre ao seu lado.

Um forte abraço dos seus amigos da liturgia e de toda comunidade que o ama.

04-12-2011
Elizângela (pastoral da liturgia)
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>