«

»

dez 30

Notas sobre o Auto de Natal em Dores de Campos

Dezembro mês que recordamos e festejamos a natividade do redentor de todos os nossos pecados, Jesus Cristo e aqui em Dores de Campos, como em todas as paróquias do mundo não poderia ser diferente, ainda mais, quando os paroquianos são guiados pela conduta proficiente de um pároco, que faz penetrar na consciência, de todos, a Boa Nova apregoada por Este aniversariante. Para tanto, mais precisamente, no dia 23 de dezembro às 21:00 h na quadra do Dorense Clube foi apresentado um Auto de Natal, onde o Coral NEC cuidou da direção musical e as cenas figuradas por vários adolescentes, coordenados por: Aparecida, filha do Zé Nabor, Pastoral da Família e Dora Fonseca.

Após várias execuções do Coral NEC foi apresentada uma Cantata pelo Coral de Crianças, coordenados por Aparecida, filha da Dona Cendira, onde todos puderam recordar a música que mais sintetiza o Espírito do Natal, a saber:

Quero ver você não chorar

Não olhar pra trás

Nem se arrepender do que faz

Quero ver o amor vencer

Mas se a dor nascer

Você resistir e sorrir

Se você pode ser assim

Tão enorme assim eu vou crer

Que o Natal existe

Que ninguém é triste

Que no mundo é sempre amor

Bom Natal um feliz Natal

Muito amor e paz pra você

Pra você…

Para terminar o Coral NEC entoou Então é Natal (versão de Happy Christmas de John Lennon). O Auto foi tão bonito que Pe. Paulo Marcelo solicitou de todos os participantes e envolvidos uma reprise, sendo esta para a Missa do Galo, que antecede ao Natal de Jesus.

Mais uma vez, parabéns a todos, pela maneira inteligente de evangelizar!

Curiosidade:

Tornou-se costume em várias culturas montar um presépio quando é chegada a época de Natal. Variam em tamanho, alguns em miniatura, outros em tamanho real. O primeiro presépio do mundo teria sido montado em argila por São Francisco de Assis em 1223. Nesse ano, em vez de festejar a noite de Natal na Igreja, como era seu hábito, o Santo fê-lo na floresta de Greccio, para onde mandou transportar uma manjedoura, um boi e um burro, para melhor explicar o Natal às pessoas comuns, camponeses que não conseguiam entender a história do nascimento de Jesus. O costume espalhou-se por entre as principais Catedrais, Igrejas e Mosteiros da Europa durante a Idade Média, começando a ser montado também nas casas de Reis e Nobres já durante o Renascimento. Em 1567, a Duquesa de Amalfi mandou montar um presépio que tinha 116 figuras para representar o nascimento de Jesus, a adoração dos Reis Magos e dos pastores e o cantar dos anjos. Foi já no Século XVIII que o costume de montar o presépio nas casas comuns se disseminou pela Europa e depois pelo mundo. (fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre)

P/ João Bosco de Melo
Dores de Campos, 25 de dezembro de 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>