«

»

nov 16

11º Encontro da Irmandade do Santíssimo Sacramento

001O tempo frio e chuvoso não esmoreceu os ânimos dos 40 irmãos que rumaram, no horário de 05:30, para a cidade de Carrancas, na intenção de participarem do 11º Encontro da Irmandade do Santíssimo Sacramento. Ao chegarmos fomos recepcionados por um excelente café, contendo no mesmo uma variedade infinda de quitandas. Umas vez satisfeito o apetite rumamos para a bela Igreja Matriz Nossa senhora da Conceição (em tempo vale ressaltar que a mesma foi erigida no final do século XVVIII com blocos de quartzito e tendo o teto do presbitério com afresco do discípulo de Aleijadinho, Joaquim José da Natividade) na intenção de buscar o anfitrião do encontro “Santíssimo Sacramento”. Assim que o Pe. Eder Sebastião dos Santos incensou o Santíssimo Sacramento, o Mesmo foi transladado em procissão até o Ginásio Poliesportivo. Uma vez entronado o Santíssimo Sacramento, fez-se a adoração e recitação do Terço (Mistérios Dolorosos), sendo este, conduzido pelo Diácono Diocesano Permanente Ademir Noel. Em seguida  Pe. Javé Domingos Silva (Minduri) ministrou uma profícua palestra intitulada: O cotidiano das Irmandades do Santíssimo Sacramento, quando na ocasião desenhou com bastante embasamento, baseado na 1º Carta aos Coríntios, os perigos que uma comunidade corre, quando seus membros não têm discernimento das diretrizes que regem o movimento e se habituam a personalizá-lo, isto é, tornando-o o reflexo de suas vontades pessoais. Para tanto ele mencionou uma frase asseverada por Jesus, quando da última Céia:__Fazei isto em minha memória!__A isto fica bem claro, que o que vai nortear o movimento é a intenção de fazer memória a Jesus, no sentido de fazer a vontade Deste. Há que se entender, também, que tal irmandade é diferente das demais, pois cabe a esta zelar pela própria Igreja e na proclamação da palavra e ostentação do Santíssimo Sacramento os seus membros se comprometem seu a sair do próprio egoísmo, para ir ao encontro dos acontecimentos sociais, na promoção de quem se encontra em  estado de penúria, tanto na forma física, material e espiritual. E tem que se ter a intenção clara que a prioridade de tal movimento é o de estar reunido ao redor do próprio Jesus Cristo, transubstanciado em pão e vinho, para nos alimentar em nossa viagem terrena. É necessário que entendamos, que tal movimento, é de suma importância para a vitalidade da Igreja, pois este (movimento) esteve, sempre,  atrelado em sua formatação, enquanto templo, tanto que era chamado como Irmandade Fabriqueira ou Fábricas das Igrejas. Finalizando a palestra asseverou que a gratuidade, humildade e disponibilidade ao serviço é a melhor prenda que podemos ofertar a Jesus Cristo . E deixou uma máxima, para se pensar:__”Não importa o ponto que chegamos. O importante é prosseguir decididamente”

Após a palestra foi oferecido o almoço e alguns minutos para a sesta, não para dormitar, mas para se poder trocar informações e opiniões. Na sequência houve vários depoimentos de Milagres Eucarísticos. Encerrada essa etapa, Pe. Paulo Marcelo Daher Gomes Filho munido do capítulo 12 da 1ª Carta aos Coríntios começou a dissertar sobre as variedades de dons a que todos são capazes e a maneira eficaz desses serem bem empregados em movimentos e pastorais. Especificou que a tônica do Movimento: Irmandade do Santíssimo Sacramento é caminhar junto com o pároco e nessa caminha crescer na fé e se fidelizar cada fez mais ao intuito do movimento e de sua importância no contexto religioso e social. Para tanto tem que se conhecer as características do movimento, sua importância histórica e respeitar a hierarquia de comando, quando o consenso é prioritário, quando o ângulo do meu olhar tem que ser desviado para o todo, em detrimento do meu “eu”. E para se membrar ao movimento não é necessário ter diplomas ou posições, para tanto deve-se ter, apenas, boa vontade e a certeza do sim dado. Para tanto asseverou que Jesus ao iniciar o seu ministério escolheu pessoas simples e marginalizadas e a nós não nos cabe ser diferentes Deste. Apesar de o assunto ser sério, pois chamou a todos à responsabilidade, Pe. Paulo Marcelo efetivou sua palestra em tom, sempre, jocoso, o que deixou todos à vontade.

Em seguida houve a celebração do Santo Sacrifício da Missa, quando a mesma foi celebrada por Dom Célio de Oliveira Goulart e concelebrada por: Monsenhor Jair Santos Pinto, Pe. Paulo Marcelo, Pe. Eder, Pe. Javé, Pe. Dirceu e pelo diácono Noel, quando ao homiliar sobre o Evangelho ratificou tudo o que fora dito, até então, sobre a Irmandade do Santíssimo Sacramento. Ao final foram distribuídos brindes.

Foi um evento simples, quando a pretensa foi, apenas, a de tornar a Irmandade mais unida e seus participantes mais inteirados de sua importância social, histórica e religiosa. Vale ressaltar que ao final foi repassada a responsabilidade do zelo  da imagem de Nossa senhora do Santíssimo Sacramento  para o provedor da Irmandade da cidade de Prados até o ano de 2017, próximo encontro, quando tal Irmandade estará completando 300 anos de sua fundação. Em tempo vale registrar a presença discreta de Pe. José Bittar.

Parabéns aos organizadores e a todos que direta ou indiretamente ajudaram para o sucesso do evento.

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 15 de novembro de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>