«

»

nov 18

Relatório do 12º Encontro da Irmandade do Santíssimo Sacramento – Cidade de Prados

6º Jubileu da Irmandade do Santíssimo, paróquia Nossa senhora da Conceição

Ontem, mais precisamente, dia 15 de novembro, defronte ao Salão Paroquial São Thomas de Aquino, às 08:40 h, rumaram para a cidade de Prados 32 componentes da Irmandade do Santíssimo Sacramento, sob o comando do Coordenador Gilmar Aparecido Tarciso, quando do 12º Encontro da tal Irmandade e também pela comemoração do 6º Jubileu da Irmandade anfitriã. Receosos dos visitantes se perderem, foram colocados fitas nas cores vermelho e amarelo amarradas nos galhos das árvores, que cortejando a todos se bruçavam, solenemente, pelos caminhos. Chegando ao local marcado todos foram convidados a fazerem o desjejum e em seguida a rezarem o terço na Igreja de Santo Antônio, quando a todos foram dadas as boas vindas pelos padres: Dirceu de Oliveira Medeiros (anfitrião), Eder Sebastião, Pedro de Jesus, José Raimundo e Antônio Claret, sendo que esse último evocou a benção do Santíssimo Sacramento e dando proteção a todos os Irmãos foram seguindo esses, de posse do Santíssimo em suas mãos, até o local, onde seriam efetuados os trabalhos, na Quadra Poliesportiva, junto ao Parque de Exposição, quando da chegada o Pe. Jose Raimundo efetuou a Benção do Santíssimo. De imediato foram apresentados os novos irmãos, que de posse de suas opas e murças foram ungidos pelo Pe. Eder Sebastião. Dando sequência aos trabalhos Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros convidou o professor e historiador Rafael José de Souza a proferir a palestra “Irmandades Religiosas nas Minas Gerais – Séculos XVIII e XIX” que com muita sabedoria traçou uma linha do tempo pontilhando a importância dessa Irmandade fabriqueira, desde o período das Entradas e Bandeiras, mostrando sua importância nas construções de nossas belas igrejas com suas arquiteturas requintadas desde o barroco, passando pelo  estilo rococó e, ainda, toda a sua função social e cultural na formação da história do Brasil Colonial. A isso, sempre, dando os maiores créditos ao autor e historiador Dário Cardoso Vale, cuja obra “Memória Histórica de Prados” esteve à baila em todos os momentos. Na sequência foi apresentada a Comissão Diocesana da Irmandade do Santíssimo Sacramento, quando a todos foi permitido o uso da palavra, valendo ressaltar, a isso, o testemunho de Geraldo, tesoureiro, que de maneira simples e verdadeira emocionou a todos um acontecimento fatídico que ceifou a vida de sua jovem esposa. Em seguida houve o intervalo para o almoço. Após o intervalo para o quimo aconteceu a palestra de Pe. Paulo Marcelo Daher Gomes Filho, que de forma competente e linguagem simples foi delineando “O Caminho da Santidade”, como forma de mostrar a todos os presentes, que a mesma é permitida a todos, desde que se proponham a seguir os ensinamentos da Boa Nova de Cristo. A isso mencionou a parábola das Virgens prudentes e imprudentes (Mateus25. 1-13), como forma de mostrar a todos que a vigília e o mea culpa são coisas que devem ser constantes na vida, porém tendo a flexibilidade de quando cair, se levantar, quando errar, procurar acertar, lembrando, sempre, que somos humanos, que somos imperfeitos, porém tendo a noção de que a história de salvação se faz caminhado, para frente, tendo a certeza que Jesus, sempre, dará outra chance. Mediante a preparação, para o sacrifício da Santa Missa, houve diversos sorteios. Em meio à Santa Missa, Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros homiliou, de maneira profícua, a importância da Eucaristia na vida de todos, mostrando que Jesus, quando da última Ceia deu a todos um grande tesouro, que é a sua presença real e substancial, através do pão (seu corpo) e do vinho (seu sangue). A isso fez de nós a sua “Shekinah” (habitação, morada), mostrando com isso o prejuízo da reforma protestante, que tirou de outras denominações a fração do pão. Asseverou, também, citando Pe. Antônio Vieira:__”Para Jesus foi mais difícil separar do seu povo, do que perder a sua vida”. Vale ressaltar que participaram desse grande evento os padres: Domingo Sávio, Jonas, Antônio Claret, José Raimundo, Joaquim Diogo, Pedro de Jesus, Luiz Carlos, Crésio, Eder Sebastião, Paulo Marcelo Daher, Dirceu de Oliveira Medeiros. Além de Ademir Noel, diácono permanente da Diocese de São João del Rei. Vale registrar a ausência do Bispo Diocesano Dom Célio de Oliveira Goulart, que devido a compromissos referente a outros setores da diocese, não pôde comparecer. Vale exaltar a competente banda que embalou com belas canções esse grandioso evento, valendo registra, também, a esse a presença de 41 (quarenta e uma) paróquias, 07 dioceses e 12 padres, o diácono permanente e o número presencial de 1.900 (um mil e novecentos) a 2.100 (dois mil e cem) Irmãos e Irmãs do Santíssimo Sacramento da Eucaristia.

Obrigado a todos pela, carinhosa, acolhida! Lembrando a todos que o próximo Encontro será na cidade de Madre de Deus de Minas.

Graças e Louvores sejam dados em todos os momentos!__Ao Santíssimo e Divino Sacramento!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 16 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>