«

»

maio 31

Ordenação Sacerdotal do Pe. Eduardo

 01

“O caminho é este, segui por ele, sem desviar-vos á direita ou à esquerda”

    Mês de maio, mês de Maria, mês que tivemos a maravilhosa experiência de participar da ordenação sacerdotal de Eduardo Francisco José da Silva, natural de Resende-RJ, mas filho dorense desde os 7 anos de idade, numa celebração do Sacramento da Ordem, ao qual envolveu muitos elementos. Foi uma cerimônia longa, porém de beleza e riqueza incomparáveis, comovente para nossa fé e nossa vida cristã. A quadra de esportes do Dorense Clube estava repleta, para muitos era uma novidade, dentre eles: Pe. Paulo Marcelo, paroquianos amigos, o bispo Dom José Eudes de Leopoldina que presidiu a cerimônia. Valendo ressaltar a alegria tímida de Dona Neli, mãe do ordenado a sacerdote.    O rito da celebração obedeceu a uma sequência que se iniciou com a entrada de Dom Eudes, vários padres e seminaristas da diocese de Leopoldina. A seguir teve início a Liturgia da Palavra, na qual foram lidos textos relacionados ao sacerdócio, à missão do padre na igreja, no mundo e na história. Em seguida teve início ao ritual da Ordenação.

Eduardo Francisco, desejoso em ser ordenado padre foi chamado a se apresentar. Num gesto muito belo e simbólico, despediu-se de sua mãe, Dª Neli e do irmão mais velho Adriano, representando seu amado pai Antônio Luiz da Silva, in memorian. Ao ser chamado, mais uma vez, respondeu emocionadíssimo: “Aqui estou, Senhor!” Mais uma vez o bispo pergunta ao ordenado se era de seu intento a disposição em abraçar o sacerdócio com as renúncias necessárias, ao que foi respondido: Eu quero!

Chega o momento da grande oração da comunidade. Prostrado por terra, Eduardo Francisco manifesta o reconhecimento de sua nulidade, fraqueza, pequenez, diante da grandiosidade do ofício que vai assumir. A comunidade se ajoelha e entoa a Ladainha de todos os Santos. Parece que todos os santos invocados em procissão, impõem as mãos sobre a cabeça do Eduardo, em sinal de bênção.

Depois o novo padre, Eduardo Francisco, é revestido dos paramentos sacerdotais: a veste branca, a estola símbolo do poder e da santidade do sacerdócio; por último, a casula, traje próprio para a celebração da Eucaristia. Num humilde gesto dom José Eudes ungiu as mãos, momento central da ordenação, do Pe. Eduardo Francisco.  Os padres, da diocese de Leopoldina, que estiveram presentes também impuseram e as mãos sobre a cabeça do novo sacerdote, assim como também beijaram suas mãos ungidas e consagradas para sempre ao Senhor. Foi um momento de muita emoção, no reconhecimento da presença do Espírito Santo. A partir desse momento Pe. Eduardo Francisco consumado sacerdote para sempre passa a concelebrar a cerimônia com Dom Eudes.

Ao término da cerimônia, Dom José Eudes convidou o recém ordenado a dirigir sua primeira palavra ao povo de Deus e dar-lhe a bênção de suas mãos ungidas, agindo, a partir de agora, na Pessoa de Cristo. Seu gesto suscitou comoção entre o povo que aqueceu a quadra do dorense em palmas.

Ayla Darlene de Souza – Pascom

25/05/13

Fotos: Nairon Neri Silva – Pascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>